Como alcançar a independência financeira

Como alcançar a Independência Financeira: O Guia Inicial

Independência financeira pode significar muitas coisas diferentes, dependendo de com quem se fala.

Para alguns, pode querer dizer não precisar abrir mão de nada, pois ter independência financeira pode significar poder comprar o que se deseja, quando se deseja, para outros, pode significar alcançar uma quantia x de dinheiro e não precisar mais trabalhar.

Para este artigo, a definição do termo é poder viver de renda passiva, ou seja, não depender mais do salário de um trabalho tradicional e conseguir viver de rendimentos advindos de investimentos anteriores, que seguem gerando dinheiro sistematicamente.

Fases da Independência Financeira

Apesar da liberdade financeira ter significados diferentes para as pessoas, ela pode ser dividida em fases, com cada uma de suas etapas representando diferentes conquistas e, consequentemente, diferentes níveis de tranquilidade para quem decide trilhar este caminho.Liberdade de Curto Prazo: diz respeito a ter uma reserva de dinheiro que permita a quem economizou, viver um período de dois meses a um ano, sem ficar na dependência de um salário. Pode ser considerada uma reserva de emergência, pois no caso de uma urgência ou de um imprevisto acontecer, a pessoa tem uma garantia de que, por um período de tempo, conseguirá manter o seu padrão de vida.

Liberdade de Dívidas: estar liberto de dívidas e financiamentos é um estágio muito importante, pois permite que a pessoa pare de gastar dinheiro com outras pessoas e comece a investir dinheiro em si mesma. Sem dívidas para consumir o dinheiro, é possível economizar com mais facilidade e optar por formas mais inteligentes de fazer o dinheiro render.

Liberdade de Emprego: nesta fase, a pessoa não depende de seu emprego como a sua principal fonte de renda, permitindo a ela mudar de carreira, por exemplo, mesmo ganhando menos, sem medo de prejudicar seu padrão de vida. Ainda é necessário, pensar ativamente sobre dinheiro e gerenciar as finanças pessoais, pois mesmo já tendo entradas de dinheiro que cobrem os gastos atuais, ainda é preciso estar vigilante para que os lucros não sejam corroídos pela inflação.

Independência Total: esta etapa é alcançada quando a entrada de recursos de diferentes fontes de renda ultrapassa, confortavelmente, as despesas e ainda sobre dinheiro para continuar investindo nas mesmas ou em outras fontes de renda. Neste caso, a inflação não é uma preocupação, assim como também não é uma necessidade manter o emprego. É importante saber que este estágio não significa “torrar” dinheiro de forma irresponsável e leviana, mas sim, ter e manter um fluxo de caixa de acordo com o padrão de vida escolhido por cada um para si e sua família.

Planejamento Financeiro

Antigamente, para se alcançar a liberdade financeira e conseguir viver de renda, era necessário muito dinheiro de antemão, pois os investimentos mais tradicionais eram comprar imóveis, para viver de aluguel, ou comprar títulos, fundos e ações, para viver de seus lucros e dividendos.

Entretanto, hoje em dia, com as possibilidades trazidas pela internet, o sonho da independência financeira se democratizou e está ao alcance de mais pessoas, com muito mais facilidade e exigindo muito menos recursos.

No entanto, independentemente do nível de liberdade financeira que a pessoa queira atingir, parcial ou total, sem planejamento financeiro não se chega a lugar nenhum; realizar esta preparação é fundamental.

Digamos que, para gerar renda passiva, se queira iniciar um negócio na internet, neste artigo serão abordados as alternativas de criar um infoproduto, trabalhar com marketing de afiliados e ganhar dinheiro com publicidade, por mais que estas possibilidades não exijam muito dinheiro para serem iniciadas, algo em torno de 100 a 200 dólares, ainda assim, é necessário ter esta quantia mínima para começar.

E o que fazer, quando nem isso se tem?

É aí que entra o planejamento financeiro.

Existem muitas atividades que se pode exercer pela internet para ganhar dinheiro, cujo custo inicial de investimento é zero.

Talvez não sejam atividades com as quais se queira trabalhar a longo prazo, mas isso faz parte do planejamento financeiro, traçar e executar etapas que tenham propósito e potencial para alcançar o objetivo final.

Seguem duas sugestões de atividades remuneradas que se pode iniciar rapidamente, sem custo, para conseguir os valores necessários para começar um negócio online:

Responder pesquisas e ganhar dinheiro

Muitas pessoas não entendem por que motivo sites pagariam dinheiro para pessoas responderem pesquisas online e, por não entenderem, não confiam nessa sistemática e acabam perdendo uma oportunidade de fazer algum dinheiro extra de forma fácil.

As empresas que estão por trás destes sites de pesquisas remuneradas são agências de publicidade que pagam uma pequena quantia aos seus membros colaboradores como uma forma de agradecimento pelo tempo dedicado para participar de pesquisas.

O dinheiro vem dos clientes dessas agências, que são marcas que querem ajuda com suas pesquisas de mercado.

Como os clientes finais são diversos, também são as pesquisas, que podem abordar vários assuntos diferentes.

O valor pago por cada pesquisa depende de alguns fatores como urgência da pesquisa, tamanho do questionário e complexidade das perguntas, assim como também afetam a quantia paga, a localização e o perfil da pessoa que participará da pesquisa.

Para garantir uma boa quantia de dinheiro extra por mês, é importante se cadastrar em diversos sites que pagam por pesquisas, manter as informações dos cadastros sempre atualizadas e ser proativo, respondendo aos questionários tão logo estejam disponíveis.

Existem relatos de pessoas que declaram conseguir até 300 dólares mensais respondendo pesquisas online.

Trabalhar de freelancer em casa

Existem muitas plataformas online nas quais se pode oferecer os mais variados tipos de trabalho em troca de remuneração.

Diversos clientes, dependendo da plataforma, até mesmo clientes internacionais, buscam profissionais para desempenharem as mais variadas tarefas como, gerenciamento de redes sociais, redação de conteúdo para campanhas de marketing digital, tradução de textos de ou para o português do Brasil, transcrição de áudio, design de logos e outras peças gráficas, desenvolvimento de websites, aplicativos e jogos digitais, aulas de idiomas, edição de fotografias e vídeos.

Claro que quanto maior a especialidade, maiores são as chances de pagamentos mais altos, mas mesmo desempenhando tarefas de baixa especialização, como transcrição, por exemplo, é possível fazer um bom dinheiro extra.

Entre as plataformas mais utilizadas entre os brasileiros freelancers para venderem seus serviços estão 99 freelas, Fiverr, Upwork, Freelancer, People Per Hour, Guru.com, Workana.

É importante lembrar de ler atentamente as regras de cada um desses sites, antes de começar a trabalhar, para evitar mal-entendidos.

Além de oferecer prestação de serviços por meio de plataformas voltadas para isso, não se deve desconsiderar a própria rede pessoal de contatos, nunca se sabe de onde pode surgir uma oportunidade de trabalho. Leia mais sobre trabalho freelancer

Mas nunca deixe de pensar que trabalhando como freelancer você ganha mais quando trabalha mais.

E trabalhar mais não significa muitas horas de trabalho, na maioria dos casos ser eficiente e bem produtivo é a solução para fazer mais em menos tempo.

Por isso veja essa lista de aplicativos que vão te ajudar a aumentar a sua produtividade.

Três tipos de negócio online para criar renda passiva

Como mencionado anteriormente, agora, três tipos de negócio, que podem ser desenvolvidos na internet para gerar renda passiva, serão abordados.

Diferentemente das sugestões feitas acima, estas ideias de negócio exigem investimento inicial, entretanto não requerem trabalho constante, apenas manutenção; a ideia por trás delas é dedicar tempo para desenvolvê-las de antemão e depois lucrar sucessiva e repetidamente com elas, de forma, praticamente, passiva.

Criar um infoproduto

Um infoproduto nada mais é que um produto digital que ensina ou auxilia alguém a fazer alguma coisa.

Um e-book que ensina as expressões mais divertidas em inglês, uma vídeo aula que explica a forma infalível de fazer um delicioso bolo de chocolate, um podcast que aconselha as pessoas sobre investimentos, são todos exemplos de infoprodutos.

A vantagem de optar por este tipo de produto é que ele pode ser criado, vendido e distribuído de forma digital, sem a necessidade de lidar com produtos físicos e todas as suas desvantagens, como cadeia de produção, distribuição, frete e, eventuais, devoluções.

Além de produtos educativos, os infoprodutos também podem tomar a forma de ferramentas que auxiliam as pessoas a executarem alguma tarefa de forma mais fácil, como aplicativos para aparelhos móveis, tabelas de Excell pré-formatadas, designs de etiquetas e cartões para serem personalizados, entre outros.

Os baixos custos de criação, salvo exceções mais sofisticadas, a facilidade na divulgação, o amplo alcance geográfico, a estrutura simplificada, a ausência de limitações físicas de comercialização, assim como a ausência de resistência cultural do público em geral são fatores que tornam este modelo de negócio uma excelente opção para gerar renda passiva.

Escolher qual infoproduto desenvolver e o seu formato é a tarefa mais importante de todo o processo.

Especialistas no assunto, sugerem que se deve começar com um assunto sobre o qual se saiba bastante, pensar sobre conhecimentos e experiências pessoais podem levar a percepção de diferenciais para o mercado.

Estudar o público que teria interesse nos assuntos considerados também é fundamental, pois de nada adianta ser um excelente instrutor de clarinete, se não há pessoas suficientes interessadas em aprender sobre o instrumento, por exemplo.

Depois de analisar as preferências e as necessidades do público para o qual se deseja vender, pode-se começar a pensar sobre o formato do infoproduto, que pode assumir muitas formas: cursos digitais, guias em PDF, e-books, áudio-books, podcasts, aplicativos, softwares, templates, jogos, programas de membros, pacotes de serviços.

Existem muitas ferramentas na internet que podem ser utilizadas tanto para produzir quanto para comercializar infoprodutos.

Caso o produto escolhido seja um e-book, por exemplo, pode-se fazer uso do site Canva (canva.com), que é uma plataforma voltada para a criação de diferentes designs; além de ter uma opção paga, que oferece mais recursos, o site tem uma excelente versão gratuita.

No caso de optar por desenvolver um curso virtual, o Hotmart (hotmart.com) é uma plataforma bastante popular para a hospedagem e venda de cursos digitais.

Dentro da estrutura do Hotmart, o criador do curso pode oferecer comissões para que outras pessoas vendam o seu curso, aumentando assim, o seu alcance.

As comissões mais atraentes giram em torno de 40% a 50% do valor do curso, o que pode parecer muito, em um primeiro momento, mas deve-se considerar os custos envolvidos, caso se decida agir por conta própria: custos com divulgação e propaganda.

Marketing de afiliados

Um afiliado é uma pessoa que se afilia ao programa de marketing de afiliados de uma empresa e recebe uma comissão cada vez que alguma de suas ações de marketing, quase sempre atreladas a um link personalizado de afiliado, resulta em uma venda para aquela empresa.

Existem muitos tipos de programas de afiliados e cada um possui as suas próprias regras, portanto é crucial ler e entender as normas e especificações de cada um dos programas com os quais se queira trabalhar, antes de começar.

Enquanto alguns programas somente aceitam colaboradores que tenham site próprio e com um número considerável de acessos, outros têm preferência por parceiros que tenham canal no YouTube ou uma presença forte em diversas redes sociais.

O sistema de comissionamento não é novidade no mundo das vendas, a lógica é a mesma aplicada aos representantes comerciais que vendem produtos fisicamente e são pagos via uma porcentagem sobre o valor de cada venda, a grande diferença entre outros mercados de comissões e o marketing de afiliados digital está no valor das comissões.

Ao passo que programas tradicionais pagam comissões que giram em torno de 4% a 8%, é normal encontrar programas de marketing de afiliados digitais que pagam 50%, 60%, até mesmo, 80%.

Como já mencionado, existem muitos programas de marketing de afiliados, entre os mais conhecidos e indicados estão: Lomadee, focada na venda de produtos físicos; Hotmart, concentrado na comercialização de infoprodutos; UOL Afiliados, indicado para quem quer promover serviços de hospedagem de sites, plataformas de e-commerce, e-mail marketing, entre outros; CPT Cursos, ideal para afiliados que queiram trabalhar com empreendedorismo e gestão de empresas.

As opção são diversas, como decidir por qual programa optar? Tudo vai depender do nicho, ou seja, do assunto, escolhido para se trabalhar.

Especialistas recomendam que a melhor estratégia é optar por assuntos sobre os quais se tenha conhecimento e interesse, pois isso vai garantir a qualidade e a credibilidade do trabalho desenvolvido.

Além disso, é importante escolher um nicho que possibilite a criação de uma gama variada de produtos e serviços para oferecer, aumentando assim, as chances de vendas.

Embora não exista nenhum custo para se associar a programas de afiliados, este modelo de negócio não é totalmente gratuito, pois para obter um sucesso considerável, o afiliado terá de investir dinheiro para divulgar os produtos e os serviços que ele decidiu promover.

Digamos que o afiliado decida ter um site próprio ou criar um portal de conteúdo, existem os custos do domínio e da hospedagem do site, otimização das ferramentas de busca, gerenciamento de conteúdo.

Mesmo que o colaborador decida fazer uso somente de redes sociais, que são gratuitas, para promover os produtos escolhidos, ainda assim, terá de gastar com anúncios pagos para alcançar um maior número de pessoas.

Praticamente todas as plataformas oferecem algum tipo de anúncio pago: Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Pinterest. Todas elas têm potencial de sucesso, desde que se saiba escolher a mais adequada para o tipo de produto e de público escolhidos.

Ganhar dinheiro com publicidade

 O último modelo de negócio proposto trata-se de criar um site ou um canal no YouTube e ganhar dinheiro com eles através de publicidade.

Uma ótima estratégia é criar as duas coisas e enviar tráfego do seu site para o seu canal do YouTube e vice-versa.

Usando a criatividade, pode-se criar vídeos originais para publicar no canal tendo como base artigos já publicados no site, fazendo render assim ainda mais o árduo processo de produção de conteúdo.

O Google AdSense, já mencionado no tópico acima, é uma das formas mais populares de monetização de sites e blogs.

A ferramenta oferece opções bem variadas e versáteis de publicidade: links patrocinados, mais de 15 tipos diferentes de banners, anúncios interativos, como HTML e blocos de links.

Existem dois formatos de campanhas de publicidade oferecidos pelo AdSense: as campanhas de custo por clique (CPC), que pagam um valor cada vez que um usuário clica em algum anúncio exibido no site, e as campanhas de custo de mil impressões (CPM), que pagam um valor para cada mil visualizações de um anúncio.

Falar de valores é complicado, pois isso depende da conversão do assunto abordado, quanto maior a procura por um determinado tema, mais caro será o espaço de publicidade vinculado à página que fala sobre aquele assunto e, consequentemente, mais dinheiro receberá o dono daquele espaço disponibilizado para propaganda. Para se inscrever no serviço é preciso ter mais de 18 anos, uma conta de e-mail do Gmail, número de telefone, endereço e um blog ou site com conteúdo original.

Para aqueles que desejam monetizar um canal no YouTube, a plataforma de vídeos oferece um serviço chamado Programa de Parcerias do YouTube.

O programa permite aos donos de canais, ganhar dinheiro com exibição de propagandas em seus vídeos, visualizações de usuários que são assinantes do YouTube Premium, venda de produtos oficiais, que devem ser aprovados pela plataforma, patrocínios feitos por seguidores por meio de Clubes de Canais, compras do Super Chat, recurso que permite seguidores pagarem para ter a sua mensagem, que é enviada durante uma transmissão ao vivo, destacada.

A mérito de esclarecimento, o YouTube Premium é um serviço que foi lançado pela plataforma em setembro de 2018 e que oferece funcionalidades e conteúdos exclusivos, livres de anúncios.

Para um canal ser apto a participar do programa existem pré-requisitos: o canal deve ter mais de mil usuários inscritos e ter, no mínimo, 4 mil horas de conteúdo assistido nos últimos 12 meses.

Para que os pagamentos sejam processados é necessário vincular o canal a uma conta do Google AdSense. Em termos de valores pagos, para a modalidade de exibição de publicidade no canal, o YouTube paga utilizando a regra de custo por mil impressões (CPM), ou seja, a cada 1000 visualizações, a plataforma pode pagar entre US$0,25 e US$4,50.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima